David Arioch – Jornalismo Cultural

Jornalismo Cultural

Brian Greene: “Vegetarianos são pessoas dispostas a sacrificar os próprios prazeres em busca do que acreditam que seja certo”

with 2 comments

Brian Greene, considerado um gênio da física, parou de consumir carne aos nove anos

Foto: Kurt Raschke

Greene: “Fiquei horrorizado e declarei que nunca mais comeria carne novamente. E nunca mais comi. Mais tarde, me tornei vegano” (Foto: Kurt Raschke)

Especialista da teoria das cordas e professor da Universidade de Columbia, em Nova York, além de chairman e cofundador do World Science Festival, aos nove anos o estadunidense Brian Greene, considerado um gênio da física, já era capaz de multiplicar números de 30 dígitos em sua cabeça. Com a mesma idade, decidiu tornar-se vegetariano quando soube que as costelas preparadas por sua mãe eram provenientes de um animal.

“Fiquei horrorizado e declarei que nunca mais comeria carne novamente. E nunca mais comi. Mais tarde, me tornei vegano. Visitei um santuário de animais em Nova York e aprendi muito sobre a indústria de laticínios, e foi tão perturbador que percebi que eu não poderia continuar dando suporte a isso. Em dias, desisti completamente dos derivados de leite”, declarou na “Interview with Brian Greene”, publicada pelo Supreme Master Ching Hai News em 2011.

Questionado sobre o motivo pelo qual tantos gênios tornaram-se vegetarianos, respondeu que levando em conta sua “limitada experiência”, ele acredita que vegetarianos desafiam o status quo, a ordem atual das coisas. “São pessoas dispostas a sacrificar os seus próprios prazeres em busca do que acreditam que seja certo. Essas mesmas qualidades frequentemente são necessárias para conquistarmos grandes avanços nas artes e nas ciências”, pondera.

Sobre o fato de haver cientistas que não são vegetarianos, Greene declara que, assim como a maioria das pessoas, há cientistas que não se questionam sobre a prática de comer carne, já que ela sempre esteve ao alcance deles. “Muitas dessas pessoas se preocupam com os animais e o meio ambiente, alguns até profundamente. Mas por alguma razão, força do hábito, normas culturais, resistência às mudanças, há uma substancial desconexão em relação a esses sentimentos, o que acaba não se traduzindo em mudanças comportamentais”, avalia.

Brian Greene é hoje um dos físicos em maior evidência no mundo da ciência. Ele defende a teoria das cordas como uma teoria realmente unificada, com condições de descrever tudo que diz respeito ao universo físico. Por isso, ela também é considerada uma possível teoria de tudo.

Referência

http://www.godsdirectcontact.org/eng/news/160/vg5.htm

2 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Republicou isso em Coração Filosofante.

    Baruch Amanuensis

    janeiro 1, 2017 at 11:00 pm

  2. Eu sempre respeitei esse físico, e agora ainda mais. Eu já havia notado que esses gênios, uma hora ou outra, param de consumir derivados de animais, mas também me questiono porque outros gênios ainda continuam, mas posso compreender que isso é uma questão muito pessoal, a qual também respeito.

    Morgana

    janeiro 21, 2017 at 2:43 pm


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: