David Arioch – Jornalismo Cultural

Jornalismo Cultural

Author Archive

Orgulho em ser ignorante?

without comments

Arte: Pawel Kuczynski

Desde que nasci, acho que nunca vi um Brasil com tanta manifestação exacerbada de ignorância quanto o atual (até porque não vivi a ditadura, mas estudei o suficiente para saber que naquela época imperava mais a ingenuidade e indiferença por parte bastante significativa da população, e prova disso são as releituras equivocadas do período).

Na minha infância, me recordo que eu encontrava pessoas analfabetas que viviam em áreas rurais ou pessoas que viviam em áreas marginalizadas, mas ainda assim não eram conscienciosamente suscetíveis. Isso acontecia em decorrência de uma ignorância ingênua, pueril.

Já hoje, o que me preocupa não é o analfabetismo, mas especialmente os alfabetizados que são voluntariamente semiletrados, e muitos são incapazes de fazer uma análise crítica e fundamentada de suas defesas. E para piorar, hoje já temos uma massa de pessoas que debocham de pensadores sérios, de estudiosos, filósofos, sociólogos, cientistas e etc, porque não se alinham às suas ignorâncias.

E basicamente são pessoas que não leem, que não estudam, que repetem frases à exaustão, que não têm base teórica ou mesmo pragmática para efeitos analíticos ou comparativos. Que não são nem mesmo capazes de analisar a própria realidade. Ingerem e digerem qualquer porcaria, e acham que isso é o suprassumo da sabedoria, porque são preguiçosos, ou porque se alinharam a ideias que, em linhas gerais, nutrem suas insciências, incultura.

Me preocupo mais com essa ignorância que inspira orgulho em muitos, porque é uma ignorância jactante, presunçosa, de quem infelizmente escolheu esse caminho e ainda se orgulha de tê-lo percorrido.

Written by David Arioch

March 17th, 2019 at 6:27 pm

Falando sobre veganismo no programa rural Som Campeiro

without comments

Hoje de manhã, participei do programa rural Som Campeiro, da Rádio Cultura FM 93,7 apresentado por João Marques, e que sempre conta com a participação do comentarista Celso Avelar. João (à direita) é criador de gado e Celso (ao meu lado) trabalhou durante dez anos em frigorífico. Experiência muito legal, de respeito e troca de impressões e ideias.

 

Written by David Arioch

March 17th, 2019 at 6:16 pm

Deputados da Frente em Defesa dos Animais tumultuam ato pró-Marielle

without comments

Segundo a Folha de S. Paulo, deputados da Frente Mista em Defesa dos Animais realizaram um ato no mesmo momento em que já havia um ato em lembrança do assassinato da vereadora Marielle Franco.

Para tumultuar o ato pedindo justiça pela morte da vereadora, deputados da Frente em Defesa dos Animais, relançada no mês passado, ligaram uma caixa de som e emitiram latidos de cachorros. Honestamente, se isso for verdade, não dá pra levar essa Frente Mista a sério. Por que fazer isso no mesmo horário e no mesmo local?

O que me surpreendeu também é que entre os participantes estava inclusive o tal deputado Daniel Silveira (PSL), um sujeito que não tem nada a ver com a causa animal e que no ano passado rasgou aquela placa improvisada em homenagem a Marielle.

Recentemente escrevi uma matéria sobre o lançamento dessa Frente Parlamentar que conta com mais de 200 políticos. Não acredito nem de longe que a maioria tenha entrado para realmente defender os interesses dos animais.

Infelizmente, mais uma vez a causa animal sendo tratada com desrespeito em Brasília. Nas fotos divulgadas do ato desses deputados, que são apontados pela Folha de S. Paulo como sendo, em sua maioria, de direita, alguns estão rindo segurando uma faixa a favor da reclusão em caso de maus-tratos aos animais. O que tem de engraçado nisso?

Written by David Arioch

March 15th, 2019 at 12:23 am

Os 76 anos de “Casablanca”

without comments

Humphrey Bogart (1899-1957) e Ingrid Bergman (1915-1982), estrelas de “Casablanca”, de 1942 (Foto: Popperfoto/Getty Images)

Lançado em dezembro de 1942, “Casablanca” vai ser sempre lembrado como um clássico que aborda a impossibilidade do amor. O filme do cineasta tcheco Michael Curtiz conta a história do exilado estadunidense Rick Blaine (Humphrey Bogart) que mora em Casablanca, no Marrocos, onde administra uma casa noturna e ajuda refugiados estrangeiros no início dos anos 1940.

O protagonista vive um dilema quando reencontra acidentalmente a antiga paixão Ilsa (Ingrid Bergman) que tenta fugir para os Estados Unidos com o marido Victor Laszlo (Paul Henreid), um antinazista tcheco. A obra aproveitou com certo caráter propagandístico, e bastante favorável aos EUA, o sentimento de contrariedade ao Nacional Socialismo de Hitler durante a Segunda Guerra Mundial.

Embora hoje seja cultuado em todo o mundo, a verdade é que quando Casablanca começou a ser produzido não havia tantas expectativas em torno do sucesso da película. Nem mesmo o elenco, principalmente a atriz Ingrid Bergman – que não acreditava tanto no filme – imaginava que a obra figuraria até hoje entre as dez das mais importantes listas de melhores trabalhos cinematográficos da história. “Casablanca” surgiu a partir de um roteiro de teatro intitulado “Everybody Comes To Rick’s” dos teatrólogos Murray Burnett e Joan Alison, que o escreveram após uma viagem internacional.

Sem dinheiro e investidores para produzirem o espetáculo, optaram por vendê-lo por vinte mil dólares, à época, um valor bem elevado para uma história nunca encenada. Mas a fórmula do filme deu certo e o investimento de pouco mais de um milhão de dólares garantiu quase quatro milhões em faturamento. Casablanca ainda arrecadou muito mais nas décadas subsequentes, a partir de lançamentos especiais e merchandising.

A essência antinazista da obra também teve repercussão muito positiva da crítica que naquele tempo já era favorável em explorar até a exaustão a figura do “herói americano”, sujeito aparentemente falho, mas capaz de abdicar do amor em prol da liberdade e felicidade coletiva. Reflexo dessa grande aceitação são os três prêmios que o filme conquistou no Oscar nas categorias melhor roteiro, filme e diretor. Na minha opinião, uma interpretação esfíngica, sempre digna de destaque, é a do inconfundível eslovaco Peter Lorre que vive Ugarte, um estrangeiro e amigo de Rick que vende cartas de trânsito para refugiados.

Written by David Arioch

March 5th, 2019 at 1:15 am

A falácia de Ricardo Salles sobre Chico Mendes

without comments

Marina Silva publicou no Twitter que o ministro Ricardo Salles desconhece a relevância de Chico Mendes. Salles respondeu que está indo se informar e compartilhou uma matéria de 2014 em que a família de Chico Mendes é acusada de desvio de recursos.

No Google, você encontra apenas uma notícia, e repetida por diversos meios, de 2014. Sendo assim, se eles cometeram alguma ilegalidade e tiveram definitivamente que devolver recursos públicos, por que não há mais nenhuma matéria sobre o assunto nos últimos anos? Que eu saiba não tem ninguém da família de Chico Mendes preso por improbidade administrativa.

Outra coisa, o falecido ambientalista Chico Mendes é responsável por algo que sua família possa fazer décadas depois? Então quer dizer que se um primo do Ricardo Salles, por exemplo, mata alguém, sem que haja o envolvimento dele, nós podemos culpá-lo pelo assassinato? Não, mas claro que podemos lembrá-lo que ele foi condenado em dezembro, um fato recente, por fraude no Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental da Várzea do Rio Tietê.

Que argumento mais fragilizado, embora típico da capciosidade desse pessoal que tem promovido o anti-intelectualismo no Brasil. Apenas jogam com o populismo barato para ludibriar a população mais incauta.

Written by David Arioch

February 14th, 2019 at 2:01 am

A deslealdade vergonhosa de Ricardo Salles sobre Chico Mendes

without comments

Em entrevista ao Roda Viva, o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles deu a entender que quando se fala do Chico Mendes é preciso ouvir os dois lados – o dos ambientalistas e também o dos agropecuaristas em relação à Amazônia. E que segundo ele, Chico Mendes não é o que dizem ser. Chico Mendes morreu milionário ou bilionário atuando como ambientalista? Não. Já escrevi sobre isso em um artigo há algum tempo. Quem será que tem mais interesses escusos e nocivos em relação ao meio ambiente? Pra mim, é uma questão bem lógica.

Não conheço nenhum ambientalista que tenha feito o estrago daqueles que lucram com a degradação ambiental. E que credibilidade tem tais observações vindo de alguém que já foi condenado ao fraudar o processo do Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental da Várzea do Rio Tietê? Simplesmente não consigo não ver o Ricardo Salles como um oportunista tentando confundir a população. O sujeito diz isso no Brasil, um dos países que mais mata ambientalistas.

Veja a história da freira Dorothy Stang, do José Cláudio Ribeiro da Silva e da Maria do Espírito Santo. O retrato mais comum é de pessoas simples morrendo por um ideal. Querer comparar quem lucra milhões ou até bilhões de reais com a exploração do meio ambiente com o ideal de um ambientalista, ainda que cometesse equívocos ou tivesse má conduta em alguns momentos, é de uma deslealdade vergonhosa.

Written by David Arioch

February 13th, 2019 at 1:34 am

Você conhece a história do DEM?

without comments

O Democratas (DEM) é o partido com maior número de políticos cassados no Brasil, e agora ocupa a maior posição de destaque da sua história ao reeleger o Rodrigo Maia para a presidência da Câmara dos Deputados e o Davi Alcolumbre à presidência do Senado.

O DEM foi criado para se desvincular da sua própria história quando ainda era o Partido da Frente Liberal (PFL), que contava com 15 políticos de um total de 37 envolvidos em crimes e irregularidades, segundo a reportagem “PFL é recordista em número de escândalos”, publicado pela Folha de S. Paulo em 16 de julho de 2000.

Mais tarde, em 2007, a direção do PFL decidiu começar uma nova história sob o nome Democratas (DEM). No entanto, na última pesquisa sobre o ranking da corrupção no Brasil, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) apontou o DEM como o partido com maior número de políticos cassados – somando 69, o equivalente a 20,4% do total de políticos cassados em um período de sete anos.

O DEM é hoje o partido que está no controle das duas casas legislativas mais importantes da política nacional. Mas há um outro ponto intrigante, que é o fato de que o PFL que surgiu em 1985, ao final da ditadura militar, teve um longo legado enquanto Aliança Nacional Renovadora, partido mais conhecido como ARENA, e que foi fundado em 1965 para atender aos interesses dos militares que ocupavam o poder.

A ARENA tinha Sarney e Maluf entre seus membros, e foi o partido mais influente da política brasileira por um longo período (de voto de cabresto), conseguindo ocupar a maioria das cadeiras na Câmara dos Deputados em quatro eleições consecutivas, assim contendo e lidando facilmente com a oposição em tempos de política bipartidarista. Parece que a história se repete…

Written by David Arioch

February 3rd, 2019 at 10:49 pm

Uma mensagem de Natal

without comments

Written by David Arioch

December 24th, 2018 at 7:01 pm

Queria entender a lógica desse pessoal que não faz nada por ninguém…

without comments

(Foto: Peter Leone/Futura Press/Folhapress)

Queria entender a lógica desse pessoal que não faz nada por ninguém, que nunca olha para nada que não seja o próprio umbigo, mas despreza e tenta difamar o trabalho do Guilherme Boulos. O cara se doa para uma causa nobre que é fazer a diferença na vida de pessoas que perderam o lar ou que nunca tiveram um, e quando saiu como candidato à presidência foi um dos mais desprezados pela população brasileira mediana, que é uma das mais incultas do mundo.

Muitos brasileiros são culturalmente tão fragilizados em essência, em senso de identidade, que tendem a ver com desprezo e descrença discursos e ações que inspiram igualdade e equidade, mas aplaudem os discursos mais sáfaros, pobres em conteúdo, que exalam desfaçatez, incivilidade e apologia à violência.

Às vezes, a impressão que tenho, quando penso em líderes políticos, é que muitos brasileiros não gostam da ideia de alguém que pareça próximo deles no comando do país, que conheça, de fato, a realidade de muitos, mas sim de alguém que assuma a postura de um patrão, para que eles possam continuar sentindo-se como empregados, como sujeitos servis – com alguém que diga sempre o que fazer e como fazer. O endeusamento da figura de um presidente é uma prova disso, desse crônico distanciamento.

Written by David Arioch

November 27th, 2018 at 1:06 am

“Sicko” mostra a realidade do sistema de saúde cubano

without comments

O documentário “Sicko”, de Michael Moore, que aborda a realidade do sistema de saúde cubano, mostra que nos EUA os custos de saúde chegam a quase sete mil dólares por pessoa, mas em Cuba eles gastam apenas 251 dólares. Ainda assim, os cubanos têm uma taxa de mortalidade infantil mais baixa do que a dos Estados Unidos e uma expectativa de vida mais longa do que a dos cidadãos dos EUA. Os cubanos investem em medicina preventiva e parece que tem um médico em cada quarteirão. Um remédio comercializado por 120 dólares nos EUA custa 3,20 pesos (5 centavos de dólar) em Cuba.

Written by David Arioch

November 18th, 2018 at 7:06 pm