David Arioch – Jornalismo Cultural

Jornalismo Cultural

Archive for the ‘Alimentação’ tag

Um vegano subnutrido

without comments

Eu hoje de manhã, um vegano subnutrido. Atualmente estou em fase de queima de graxa, o que significa que estou seguindo uma dieta hipocalórica. Nessa fase, ao contrário do que muitos pensam, não corto carbos, apenas diminuo volumes e quantidade de refeições. Passo a fazer quatro refeições em vez de cinco ou seis. E mantenho um jejum de no mínimo 12 horas diárias. Ah, mas como você consegue perder gordura sendo vegano, já que vegano parece que só come carbo?

Não, isso não é verdade, basta consumir na proporção adequada ao seu peso corporal, e claro, sem negligenciar proteínas e lipídios. Proteínas vegetais? Sim, isso mesmo, nada de origem animal! Você está perdendo peso? Sim, claro, não há como queimar graxa sem perder peso. Não existe isso de substituir gordura por músculo, então é normal que as pessoas notem isso, principalmente no meu caso que não uso esteroides. Você faz aeróbico? Não, não tenho feito nenhum, só musculação.

Você está perdendo gordura em quais partes do corpo? Nele todo. Nosso organismo não escolhe onde queimar gordura, então isso acontece de forma geral. Por isso não acredito na tal da perda de gordura localizada de forma natural. E como você se alimenta? Todas as minhas refeições atualmente têm carbos e proteínas, e em alguns momentos do dia boas fontes de gorduras/lipídios. Você se sente menos disposto nessa fase?

Não, mas como estou comendo bem menos normalmente sou mais cuidadoso no treino porque o risco de lesões pode aumentar nessa fase hipocalórica, então não é bom forçar muito as articulações. Porém, sinto sim um pouquinho de perda de força, o que é natural em decorrência da alimentação. Mas nada que me incomode. Você está usando algum termogênico? Não, nada.

Minha base é só alimentação e treino. E meu treino é praticamente o mesmo também. Minha prioridade é a exaustão. Mesmo sendo vegano e não usando qualquer e esteroide ou recurso farmacológico, não vejo impossibilidade em alcançar qualquer objetivo em relação a isso. Tenho vontade o suficiente, e isso me basta, independente do que os outros pensam.

“The Yoyo Effect”, documentário promete mostrar os equívocos das dietas ricas em alimentos de origem animal

without comments

Autor do documentário “Food Choices”, de 2016, que discute os maus hábitos alimentares associados principalmente aos alimentos de origem animal, o produtor e diretor Michal Siewierski está prestes a lançar o seu segundo documentário. Intitulado “The Yoyo Effect”, o filme vai mostrar a epidemia de obesidade que tem atingido os Estados Unidos, além dos equívocos das dietas da moda e das dietas de perda de peso como a dieta paleolítica e a dieta Atkins.

Siewierski garante que o filme contará com inúmeras evidências científicas, e promete apresentar aos espectadores estratégias equilibradas de perda de peso que são sustentáveis e que realmente ajudam a melhorar a saúde, sem riscos de rebote. “O meu objetivo é munir o espectador de informações que podem levá-lo a um caminho de perda de peso saudável a longo prazo por meio de uma mudança no seu estilo de vida”, declarou ao Veg News.

Michal Siewierski, que já foi obeso e teve sua vida completamente transformada depois que abdicou do consumo de “fast food” e de todos os alimentos de origem animal, defende que o melhor caminho é uma dieta nutricionalmente completa e baseada principalmente em vegetais. “Há uma mensagem para não veganos e veganos, já que temos também veganos concentrando suas dietas em alimentos processados e altamente calóricos [sem que haja tal demanda]”, avisa.

Entre os participantes do documentário estão o médico Neal Barnard, do Comitê Médico Para Medicina Responsável dos Estados Unidos (PCRM), o ultramaratonista vegano Rich Roll e o fundador e CEO da Whole Foods, John Mackey. O filme produzido e dirigido por Michal Siewierski foi patrocinado por financiamento coletivo.





 

“Ô irmão, vi que você é forte, será que pode me tirar uma dúvida?”

without comments

Arte: Ivan Feskov

No mercado, um funcionário se aproximou.
— Ô irmão, vi que você é forte, será que você pode me tirar uma dúvida?
— Posso sim. Pode perguntar.
— Então, é que estou fazendo musculação e queria umas dicas.
— Dicas de que exatamente? Musculação ou alimentação?
— Os dois.
— Você já segue alguma dieta?
— Sim.
— Treina há quanto tempo?
— Tem pouco mais de três meses.
— Você procura dica de suplementação para ganho de massa muscular?
— É…
— Imaginei. Vou ser honesto contigo. A princípio, não vejo necessidade de suplementação, até porque você já está seguindo uma dieta. Mas se você estiver com dificuldade para consumir a quantidade de proteínas que seu organismo demanda, uma boa pode ser a inclusão de algum suplemento proteico.
— E o que você me indica?
— Cara, vou ser sincero. Sou vegano, então naturalmente não vou te indicar nada de proteína animal. Minha sugestão é proteína isolada de soja, de arroz, de ervilha, que é o que eu consumo. Mas suplementos devem ser consumidos de acordo com as suas necessidades individuais. A isolada de soja tem um bom custo/benefício, é só você comparar com o preço das proteínas de origem animal. E não é difícil encontrar proteína vegetal não transgênica, apesar do que muita gente diz. Proteínas vegetais também fornecem boa quantidade de aminoácidos essenciais, são de fácil digestão, muitas não contêm aditivos químicos, o que significa que costumam ser mais “naturais”, e dependendo do tipo há a vantagem de serem hipoalergênicas.
— Muito bom saber disso. Não conhecia essas proteínas, só ouvia falar de whey. E vou ver melhor esse negócio de veganismo.
— Pois é. Existe muita publicidade sobre whey protein. Mas há opções vegetais que não deixam a desejar em nenhum aspecto.
— Legal mesmo. Obrigado!





 

Written by David Arioch

January 14th, 2018 at 1:14 am

Por que comemos animais?

without comments

“Vegaromba”, livro de culinária vegana com 150 receitas está à venda nas livrarias

without comments

Está à venda nos sites da Simplíssimo, Livraria Saraiva, Cultura, Amazon, Apple, Google, Kobo, Wook, Bertrand Livreiros e Bol o meu livro digital “Vegaromba – Culinária Vegana”. O livro, que oferece 150 opções de alimentos, reúne principalmente receitas simples e acessíveis que agradam aos mais diferentes paladares. Nesta compilação, os leitores vão aprender a preparar assados, barrinhas, bolachas, bolinhos, bolos, bombons, brownies, cookies, geleias, hambúrgueres, leites vegetais, maioneses, mousses, pães, panquecas, patês, pavês, pudins e shakes, além de outros alimentos.

Há receitas indicadas para quem busca simplesmente opções livres de carnes, ovos, laticínios e mel; para praticantes de atividades físicas, para quem quer apenas diversificar a alimentação ou se alimentar melhor; e também para quem se considera um desastre na cozinha. Muitas das receitas que compõem o livro são de preparo simples, demandam poucos ingredientes e mostram como pode ser descomplicado e divertido preparar alimentos sem ingredientes de origem animal. O livro de 150 páginas foi lançado em versão digital e está à venda por R$ 10.

Quem quiser, pode comprá-lo diretamente no meu blog:




Logo abaixo estão os links para a compra do livro “Vegaromba – Culinária Vegana” nas livrarias:

Simplíssimo

Amazon

Apple

Google

Kobo

Wook

Cultura

Saraiva

Bertrand Livreiros

Bol

 

 

Written by David Arioch

December 19th, 2017 at 12:50 pm

Você não está perdendo peso sem querer porque se tornou vegano

without comments

Acervo: Coracao.com

Se uma pessoa se torna vegetariana ou vegana e começa a perder peso sem querer, isso não significa que ela esteja perdendo peso simplesmente porque se tornou vegetariana ou vegana. Não, isso não existe, a não ser como consequência de negligência nutricional. Ou a não ser também que a pessoa tenha isso como objetivo e esteja seguindo uma dieta restritiva ou low carb.

Em síntese, a perda de peso tem relação com algo bem simples – déficit calórico. Não tem nada a ver com ser vegetariano ou vegano. Se você for consciente de suas necessidades, ou tiver boa ajuda profissional caso seja necessário, você só vai perder peso ou ganhar se quiser.

O que acontece é que há pessoas que se tornam vegetarianas ou veganas e passam a consumir alimentos menos calóricos do que na época em que consumiam alimentos de origem animal. Sendo assim, claro que se sou negligente no que diz respeito às minhas necessidades, seja envolvendo glicídios, proteínas e lipídios, alguma mudança corporal vai acontecer.

Neste caso, se você é vegetariano ou vegano, por exemplo, você não tem que buscar equivalência, mas sim aprovisionamento. Resumindo, se você não quer perder peso, tenha em mente que você precisa consumir mais do que gasta diariamente. Do contrário, a perda de peso é uma consequência natural, que aconteceria com qualquer pessoa, seja ela vegetariana, vegana ou não.

Quer ganhar massa muscular? Tenha em mente que não se ganha massa muscular tendo uma alimentação com baixíssima quantidade de carboidratos e proteínas, principalmente. É preciso considerar as necessidades individuais. Negligenciar vitaminas e sais minerais também não ajuda. Perda indesejada de peso, ganho de gordura ou perda de massa magra são simplesmente consequências de nossos hábitos alimentares e estilo de vida. O que significa, de novo, que não tem nada a ver com você ser vegetariano ou vegano.





Written by David Arioch

December 14th, 2017 at 10:20 pm

Por que é importante que veganos sejam saudáveis

without comments

Quando uma pessoa é vegana e não se importa em ser saudável, assim que ela for diagnosticada com algum problema de saúde as pessoas dirão que isso aconteceu porque ela é vegana. Não sou a favor de radicalismos na alimentação, nunca fui, mas sou totalmente a favor das pessoas se cuidarem. Afinal, se um vegano estiver doente, como ele terá condições de lutar por algo?

Um dos meus objetivos é exatamente esse. Mostrar que não existe nada de errado em ser vegano, muito pelo contrário, e que isso só traz coisas boas para a nossa vida e para a vida de outros seres vivos. Com saúde, tenho muito mais condições de fazer algo pelos outros. Gosto da ideia de que a minha aparência seja um reflexo saudável daquilo em que acredito. Sou da opinião de que não posso contribuir com o meu definhamento precoce, porque isso significaria me distanciar de lutar por tudo aquilo em que acredito.





Written by David Arioch

October 12th, 2017 at 11:46 pm

“Não rola ser vegano. Você deve ter tempo de sobra pra cozinhar essas coisas”

without comments

Vegetais, legumes e frutas são obviamente mais baratos do que carne

— Não rola ser vegano. Você deve ter tempo de sobra pra cozinhar essas coisas.

— Cozinho mais no domingo. As receitas que publico normalmente são feitas no final de semana. Caso eu tenha pouco tempo no sábado ou no domingo, acordo mais cedo ou então cozinho à noite quando chego em casa.

— Ah, deve ser caro fazer esses hambúrgueres vegetais e esses bolinhos.

— Não é. Uso mais feijões e ervilhas frescas como fonte de proteína para esses hambúrgueres. Pago menos de R$ 5 no quilo do feijão e R$ 6 no quilo de ervilhas frescas. Os demais ingredientes, os temperos, por exemplo, dá pra plantar inclusive em casa, até mesmo dentro de garrafas ou vasos, caso não tenha espaço. E sobre os bolinhos, o que mais uso é aveia, cacau em pó e pasta de amendoim integral. É possível encontrar aveia por R$ 5 o quilo, cacau em pó por menos de R$ 2 cada 100 gramas. A pasta de amendoim pode ser feita em casa (sai em torno de R$ 8 o quilo) ou caso não tenha como fazer, é possível encontrar o quilo por menos de R$ 15, e dura um bom tempo.

— Vegetais, frutas e legumes não são tão baratos.

— São bem mais baratos do que carne, e obviamente mais saudáveis, pode ter certeza. Além disso, você pode procurar por promoções. Entre em contato com pessoas da sua cidade que já se alimentam dessa forma e peça dicas. Pessoas dispostas a ajudar não faltam.

— Tofu é muito caro.

— Faça em casa que sai barato. É possível fazer um quilo de tofu com menos de R$ 10.

— Leite vegetal é caro.

— Leite vegetal é mais barato que leite de vaca. Experimente fazer em um final de semana.

— Ah, mas não tenho tempo pra me exercitar, ir pra academia.

— Durante mais de três anos, acordei às 5h para ir à academia. Depois não pude mais ir de manhã e mudei para o horário da noite. O dia tem 24 horas, você não tem uma hora ou 30 minutos para se exercitar diariamente?

— Não tenho grana pra comprar suplemento proteico vegano. É muito caro.

— Suplemento proteico só é necessário em casos específicos, quando uma pessoa não supre as necessidades diárias a partir da alimentação. Em qualquer outro caso, é desnecessário. Além disso, existe proteína vegana bulk, a granel, que é mais acessível. Vamos parar de arrumar desculpas.

 





Written by David Arioch

October 5th, 2017 at 8:20 pm

Uma breve reflexão sobre a alimentação

without comments

Arte: Etsy

Essa é minha opinião, e cada um pode ter a sua. Quando alguém reproduz o discurso de um profissional em relação à alimentação (e aqui falo de um discurso reproduzido exaustivamente), a primeira coisa que gosto de saber é se a pessoa vive na prática o que diz. Se ela não vive, não consigo evitar de ficar desconfiado. Vejo pessoas reproduzindo discursos de profissionais (ou não – e alguns deles inclusive são vistos como “gurus”), demonizando muitos alimentos, e logo penso: “Se isso é verdade, e essa pessoa se alimenta tão perfeitamente bem, como defende em seu discurso, por que ela não aparenta ser realmente saudável?”





Written by David Arioch

September 12th, 2017 at 1:59 am

Posted in Reflexões

Tagged with , ,

O veganismo não reconhece nada de origem animal como alimento

without comments

Arte: Vegan Future Now

O veganismo não reconhece nada de origem animal como alimento. Achar um absurdo, ou aceitar ou não, não muda o fato de que o veganismo desde sempre preconizou isso. Ademais, ninguém é obrigado a ser vegano. É uma questão de consciência. Se tiver dúvidas, sugiro que se aprofunde na literatura vegana, ou no mínimo respeite isso.





Written by David Arioch

August 29th, 2017 at 1:26 am