David Arioch – Jornalismo Cultural

Jornalismo Cultural

1959: Incêndio criminoso na Prefeitura de Terra Rica

with 13 comments

Prédio municipal foi destruído no dia da posse de James Clark

Antiga prefeitura foi consumida pelas chamas no dia 4 de dezembro de 1959 (Foto: Reprodução)

Antiga prefeitura foi consumida pelas chamas no dia 4 de dezembro de 1959 (Foto: Reprodução)

Terra Rica, no Noroeste Paranaense, se tornou oficialmente distrito de Paranavaí em 5 de agosto de 1952, embora o povoado tenha surgido em 1950 com o nome de Estrela do Norte. Em 26 de novembro de 1954, a colônia foi elevada a município, mas a história política da localidade só teve início em 1955, quando o candidato Francisco Ramirez Galeoti conseguiu se eleger como prefeito. Quatro anos depois, um incêndio criminoso destruiu o prédio da prefeitura, fato que chocou a população e entrou para a história com uma das maiores tragédias de Terra Rica.

Após a eleição municipal de 1955, a população também soube que Ovídio Damiani, João dos Santos, Oswaldo Menoti, Izídio Modena, Vitalino Rodrigues da Silva, Alberto Filipak, Durval Veronese, Serafim dos Santos e Francisco Antônio de Oliveira se tornaram os primeiros vereadores da recém constituída Câmara Municipal de Terra Rica. Em menos de dois anos, o município somou 20 mil habitantes, a maior parte vivendo sob a égide da cultura do café, algodão e cereais. “Tínhamos quase sete milhões de pés de café plantados em Terra Rica”, disse o pioneiro Joaquim Luiz Pereira Briso em entrevista concedida ao autor deste blog em 2006.

Crime foi cometido no dia da posse do prefeito James Clark (Foto: Reprodução)

Crime aconteceu no dia da posse do prefeito James Clark (Foto: Reprodução)

A alta produtividade cafeeira contribuiu para que o município alcançasse a marca de 146 estabelecimentos comerciais em pleno funcionamento em 1957. Segundo o pesquisador Edson Paulo Calírio, Terra Rica estava se desenvolvendo muito bem, além das expectativas. “Havia quatro hotéis na cidade, cinco pensões e um cinema com capacidade para pelo menos 200 pessoas”, contou. Entre os meios de transporte, o mais popular era o caminhão, até pela facilidade de tráfego nas precárias e íngremes estradas de chão da região. A frota de veículos circulando no município era de 52 caminhões, 14 automóveis e 3 jipes.

Em 1959, um novo prefeito trouxe mais esperanças à população. O engenheiro de origem inglesa James Patrick Clark assumiu a administração municipal quando a cidade atravessava um bom momento econômico. Há dez anos vivendo em Terra Rica, Clark foi enviado à região pela Sociedade Imobiliária Noroeste do Paraná (Sinop), comandada por Ênio Pipino e João Pedro Moreira de Carvalho, com a missão de coordenar a abertura de estradas, delimitação do perímetro urbano e divisão de lotes rurais. James Patrick começou a gostar do lugar e dos moradores, então adotou a cidade como lar definitivo.

Com bastante conhecimento sobre a realidade local e regional, não foi difícil para o engenheiro conquistar os eleitores e se eleger prefeito. O trabalho liderado na mata fez até os mais humildes se identificarem com Clark. No entanto, a postura de James Patrick não agradava a todos, principalmente a oposição política que não aceitou muito bem o resultado registrado nas urnas. “Exatamente no dia 4 de dezembro, quando Clark assumiu como prefeito, atearam fogo na prefeitura, deixando somente as cinzas do antigo prédio de madeira. Supostamente, a intenção era eliminar papéis comprometedores que estavam em posse do novo gestor. A maior parte dos documentos tinha relação com apropriação de terras”, revelou o pioneiro Joaquim Luiz Pereira Briso.

Trabalho na mata fez até os mais humildes se identificarem com o engenheiro (Foto: Reprodução)

Trabalho na mata fez até os mais humildes se identificarem com o engenheiro (Foto: Reprodução)

No momento da tragédia, não havia ninguém na prefeitura. Outros antigos moradores de Terra Rica declararam que James Patrick Clark tinha uma postura de trabalho bastante rígida e provavelmente não cedeu aos interesses de outros políticos. Por isso atearam fogo na prefeitura como forma de punição e destruição de provas. Apesar da gravidade, ninguém foi responsabilizado pelo incêndio criminoso.

Considerada uma autoridade de “pulso firme”, o engenheiro de origem inglesa tinha fama de rejeitar acordos que não beneficiassem diretamente a população. “Naquele tempo de pioneirismo, havia muita rixa política, era algo absurdo. Vendo tudo isso, eu nunca quis me meter com política, sempre tive nojo. É muita sujeira”, desabafou Pereira Briso. Mais tarde, mesmo não cedendo aos adversários, Clark foi surpreendido por uma grave doença que o obrigou a se afastar da prefeitura para se tratar fora de Terra Rica.

Nesse período, a administração municipal foi comandada por José Teixeira Prates, Agostinho Vicenzi, Antônio Gerlach e Alberto Filipak. James Patrick planejava retomar a vida política, mas a doença já estava em estado avançado. Clark faleceu antes de colocar em prática seus planos para Terra Rica. “Ninguém jamais soube o que poderia ter mudado se ele tivesse vivido mais”, comentou Briso.

13 Responses

Subscribe to comments with RSS.

  1. Muito interessante suas materias! Parabéns! E gostaria de saber se tem algum documentario da construção da usina que inundou grande parte de terras na regiao de terra rica! Obrigado!

    Anderson Augusto

    January 8, 2014 at 2:51 am

    • Anderson, muito obrigado. Me desculpe pelo retorno tardio. É que às vezes não recebo notificação dos comentários. Infelizmente não sei lhe informar se há algum documentário sobre o assunto. Se houver, admito que desconheço.

      David Arioch

      August 15, 2014 at 11:11 am

  2. Obrigada não sabia do crime mas gostei da entrevista do Briso fantástica com ele colocou se Crak continuasse a viver . sei qua faz parte do concurso valeu .

    Rosalina da conceição Pedro

    September 14, 2014 at 1:40 pm

    • Obrigado, Rosalina!

      David Arioch

      January 16, 2016 at 11:59 am

  3. Nacido em Terra Rica em 54 e não sabia sua história

    Luiz C Pineze

    January 16, 2016 at 9:33 am

    • Obrigado, Luiz!

      David Arioch

      January 16, 2016 at 11:59 am

  4. Nossa que maravilha essas histórias da minha cidade. Meus país chegaram nela em 1955, e eu tinha apenas 6 meses de idade, então me considero filha de terra rica com muito orgulho. Parabéns ao jornalista que relata esse documentário tão rico pra nossa cultura.

    Marlene Cazetta guilhen

    January 17, 2016 at 6:24 pm

    • Marlene, muito obrigado!

      David Arioch

      January 17, 2016 at 6:32 pm

  5. Entao, David Arioch., so quero te parabenizar pelo belo trabalho., meus pais chegaram em meados de 60 ou pouco mais., moravamos no garimpo, um povoado as margens do Rio Paranapanema, e em 64 mudamos para cidade., Av. Expedicionario., e tinha conhecimento desses acontecidos., so nao sabia dos nomes dos personagens., como o nome do primeiro prefeito, bem como do eng James Clark. bem como do rool dos primeiros vereadores, nao as conheci., porem so de nome., mas… parabens.,

    JUVENAL SOARES LEITE

    January 17, 2016 at 11:36 pm

    • Juvenal, obrigado mais uma vez. Fico feliz com sua contribuição. Ajudou a valorizar mais ainda o meu trabalho. Abraço!

      David Arioch

      January 18, 2016 at 12:04 am

  6. Nasci em primeiro de agosto numa manhã de intensa geada no ano de mil novecentos e sessenta e três no hospital Nossa Senhora de Fátima pelas mãos do de Heitor tendo convivência com os nomes citados.

    Victoriano Varga Herrera

    January 18, 2016 at 1:01 am

    • Legal, Victoriano!

      David Arioch

      January 18, 2016 at 9:37 am

  7. eu tinha 10 an0s de idade meu avo era dono do primeiro açougue em terra rica primeira casa de material o nome do açougue era açougue gaucho ficava perto da casa da familia menote daudades daquele tempo

    gervasio pereira dos reis

    September 6, 2016 at 3:47 pm


Leave a Reply

%d bloggers like this: